GUERRA POLÍTICA ENTRE O GDF E A CLDF, PÕE EM RISCO ORÇAMENTO PARA 2018

Em nota à imprensa distribuída pela Secretaria de Comunicação, o Governo do Distrito Federal atribui de forma leviana e mentirosa à Câmara Legislativa do Distrito Federal a responsabilidade por não votar o Orçamento de 2018, o que teria reflexos na qualidade dos serviços públicos oferecidos à população.]

Continuar lendo GUERRA POLÍTICA ENTRE O GDF E A CLDF, PÕE EM RISCO ORÇAMENTO PARA 2018

Anúncios

ATÉ QUE PONTO SOMOS SERES HUMANOS

O COMPORTAMENTO DE ALGUNS BRASILEIROS, DITOS CULTOS E POLITIZADOS, MOSTRA ATÉ QUE PONTO O BRASIL RESPEITA E VALORIZA SEUS ARTISTAS.

Resultado de imagem para chico buarque
CHICO BUARQUE, ESCRITOR, POETA E MÚSICO

Diz Albert Camus: “Se o homem falhar em conciliar a justiça e a liberdade, então falha em tudo.”  Penso sempre sobre isso, não raro quando percebo o quanto o ser humano erra o alvo neste aspecto universal de comportamento. Sempre houve e haverá injustiça entre os humanos, este fato se dá porque: “Não é do homem terreno o dirigir o seu passo. ”

Contudo, existem normas e princípios divinos, que se forem seguidos de perto podem fazer a vida do homem em sociedade ser bem-sucedida, e, sobretudo justa. Não há justiça humana que agrade a todos os homens, mesmo que todos estejam inseridos em uma mesma sociedade, onde por praxe, se deva praticar todos os costumes de forma equânime. Sempre surgirá a corrupção e a violência como forma de quebrar a ordem pública e comum.

Falando sobre isso, entendam o que ocorre no sistema judicial e prisional brasileiro. Um juiz comum pode prender alguém, apenas com uma denúncia ou indícios de um delito. Outro pode soltar um marginal, traficante ou bandido perigoso de colarinho branco, basta que se tenha muito dinheiro ou ainda bons advogados.

Na prisão, onde há excesso de lotação e crueldade por meio de tortura física e psicológica, o cidadão preso, mesmo sem ter sido condenado pode ser morto, quando não acontece o pior, ele é extorquido, pois aquilo que seria obrigação do estado, passa a ser privilégio de poucos, que têm família com condições de pagar, pagar para ter o básico, comida, uma peça de roupa lavada, e até visita íntima. No rio de janeiro, policiais cobram da família do preso 300 reais para que a esposa, que por lei teria o direito a visitar o marido.  E pasmem, há um mercado negro lá dentro, onde se pode comprar quase de tudo. Um tomate custa 5 reais, uma coca cola 40 reais, paga-se 10 reais para lavar uma camiseta, todo este mercado é gerido por policiais, com a conivência do estado.

Mas tudo isso já é cultura no Brasil, “estamos acostumados. ” Todavia me atenho hoje a outro fato, à violência e à injustiça que praticam, certos cidadãos, que se dizem cultos, educado e politizados. Com o advento da inclusão digital, com o avanço global do acesso à internet e às redes sociais, todos podem dizer o que pensam, ofender quem quer que seja, e isto tem ocorrido, sobretudo com a sociedade “politizada, ” quando estas pessoas fazem uso indiscriminado do seu direito de expressão.

Um exemplo: O cantor e compositor, escritor e dramaturgo, Chico Buarque, se manteve em silêncio nos últimos anos sobre os ataques que recebe nas ruas e na internet por conta de suas posições políticas. Mas o silêncio foi quebrado na noite desta quarta-feira (13), no palco, na estreia nacional do show Caravanas, no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. A fala foi feita no embalo do forte coro de “Fora, Temer! ”, puxado pela plateia após Chico cantar a música “Grande hotel” em homenagem ao baterista Wilson das Neves, músico que morreu neste ano e a quem o show é dedicado. ‘Viado! Vá para Cuba. Viado! Vai passear em Paris’. O único consenso é o viado”, afirmou Chico, irônico, sendo aplaudido pela plateia.

Não compactuo com esta atitude prevalecente em nossa geração, não defendo também quem faz da arte pura e sagrada como é a poesia e a boa música, um meio de ideologia política, como fez o Chico Buarque, embora ele tenha lá os seus motivos, basta ler sua biografia, contudo é um direito dele, não pode por isso ser massacrado publicamente como estão fazendo, de forma cruel e desumana. A política deve seguir seu caminho, longe do caminho iluminado onde reside a inteligência emocional, sobretudo do verdadeiro artista.

Olhando o mundo, os homens e suas ações, me pergunto: Até que ponto ainda somos humanos, seres, que segundo crença universal fomos feitos a imagem e semelhança de Deus?

Por Evan do Carmo

 

Francisco Buarque de Hollanda, mais conhecido por Chico Buarque (Rio de Janeiro19 de junho de 1944), é um músicodramaturgo e escritor brasileiro. É conhecido por ser um dos maiores nomes da música popular brasileira (MPB). Sua discografia conta com aproximadamente oitenta discos, entre eles discos-solo, em parceria com outros músicos e compactos.[2]

Filho do historiador Sérgio Buarque de Hollanda e de Maria Amélia Cesário Alvim, escreveu seu primeiro conto aos 18 anos,[3]ganhando destaque como cantor a partir de 1966, quando lançou seu primeiro álbum, Chico Buarque de Hollanda, e venceu o Festival de Música Popular Brasileira com a música A Banda[4][5] Autoexilou-se na Itália em 1969, devido à crescente repressão do regime militar do Brasil nos chamados “anos de chumbo“, tornando-se, ao retornar, em 1970, um dos artistas mais ativos na crítica política e na luta pela democratização no país. Na carreira literária, foi vencedor de três Prêmios Jabuti: o de melhor romance em 1992 com Estorvo e o de Livro do Ano, tanto pelo livro Budapeste, lançado em 2004, como por Leite Derramado, em 2010.

Foi casado por 33 anos (de 1966 a 1999) com a atriz Marieta Severo, com quem teve três filhas, Sílvia Buarque, Helena e Luísa.[6][7]Chico é irmão das cantoras MiúchaAna de Hollanda e Cristina. Ao contrário da crença popular, o dicionarista Aurélio Buarque de Holanda era apenas um primo distante do pai de Chico.[8]

Em 2 de dezembro de 2012, foi confirmado por Miguel Faria, um documentário, do qual apresentará um show de Chico organizado para a produção, mesclado com depoimentos dele e de outros nomes da música nacional, além de encenações com personagens das canções mais famosas do artista.[9][10]   

CONCEITO EQUIVOCADO DE HUMANIDADE:

“Ajudar a quem já nos ajudou no passado ou àqueles que têm os meios de nos ajudar no futuro…

Este é um pensamento farisaico, igual aos hipócritas que foram condenados por Cristo. Aqueles quando davam uma festa esquecia de convidar os menos favorecidos!

Contudo, ainda se ouve destes senhores, a expressão máxima e vulgar: “Eu sou cristão.” ”

Evan do Carmo

Mudança na situação do homem rico e de Lázaro

LUCAS 16:14-31

  • ILUSTRAÇÃO DO HOMEM RICO E DE LÁZARO

    Cachorro lambe as feridas de Lázaro

Jesus dá aos seus discípulos excelentes conselhos sobre usar as riquezas materiais. Mas os discípulos não são os únicos que estão ouvindo. Os fariseus também estão presentes e deviam levar a sério o conselho de Jesus. Por quê? Porque ‘amam o dinheiro’. Ao ouvir o que Jesus está dizendo, eles ‘começam a zombar dele’. — Lucas 15:2; 16:13, 14.

Mas Jesus não se intimida com isso. Ele lhes diz: “Vocês são os que se declaram justos diante dos homens, mas Deus conhece o coração de vocês. Pois aquilo que tem muito valor para os homens é repugnante à vista de Deus.” — Lucas 16:15.

Continuar lendo Mudança na situação do homem rico e de Lázaro

Corpo de aluno da UnB é velado neste sábado no Campo da Esperança

MAIS UM CRIME “SEM NENHUM PROPÓSITO”, EM BRASÍLIA. NO CENTRO ADMINISTRATIVO DO GDF. ONDE A SEGURANÇA FALHA EM PROTEGER SEUS CIDADÃOS. GOVERNO E POLÍCIA INÚTEIS.

A cerimônia terá apenas duas horas de duração, depois o corpo será transportado para o Paraná

Reproducao/CB/D.A Press
O corpo de Arlon Fernando da Silva será sepultado no sul do país
O corpo do estudante Arlon Fernando da Silva, 29 anos, é velado neste sábado (9/12) no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. A cerimônia fúnebre ocorre das 10h às 12h, período em que colegas e amigos da Universidade de Brasília (UnB) poderão se despedir do estudante. Arlon seguirá para a cidade de Rio Branco do Sul, no Paraná, onde será velado pela família e, sem seguida, enterrado.Na sexta-feira, amigos e colegas de Arlon se mobilizaram e passaram a tarde levantando dinheiro para que o estudante pudesse ser velado antes do translado para o sul do país. Eles precisavam de R$ 1,6 mil.

Continuar lendo Corpo de aluno da UnB é velado neste sábado no Campo da Esperança

ENTREVISTA COM A POETA BERNARDETE CAVALCANTI

23004525_1452243681550110_1707099388524035296_o.jpg
Bernardete Cavalcanti?

Quem é Bernardete Cavalcanti?

Fui a primogênita de um casal bastante peculiar ; ou seja, um Pernambucano culto, formado em Direito e uma Cearense, simples e com pouco estudo. A família constituída por cinco filhos legítimos e dois adotados passou por dificuldades na cidade de Campina Grande, Paraíba. Portanto, eu me considero pobre e rica ao mesmo tempo. Pobre, de berço porque em fins da década de 40 as famílias tinham um menor poder aquisitivo e o número de pessoas em casa contribuía à diminuição na renda familiar. Rica porque, cercada de livros, tive a oportunidade de me enriquecer com a leitura e daí foi um pulo para as demais atividades de minha vida. Sou um misto de mulher prática devido à formação em Área Tecnológica (Engenharia) e de uma romântica idealista (por natureza). Sempre busquei aprender e me acerquei de pessoas mais velhas que pudessem me proporcionar um pouco de seus conhecimentos de vida. Segui muito os conselhos e o exemplo de honradez, ética e dignidade que meu pai (Juiz de Direito) auferiu á todos nós os Cavalcantis. Fui e ainda sou orgulhosa de minha ascendência do lado paterno: Cavalcanti descendente de Filippo Cavalcanti que chegou ao Brasil em 1585 e de seu parentesco com o poeta toscano Guido Cavalcanti e do lado materno de meu pai sou descendente de Frei do Amor Divino Caneca, um dos primeiros mártires da Independência do Brasil.

Busco sempre cooperar, ajudar e aconselhar tanto os ex – alunos como os colegas que ainda entram em contato comigo na Àrea Tecnológica. Considero que parte de minha missão neste Planeta já foi cumprida mas, há ainda a necessidade de compartilhar mais . A idade avançando e os problemas que surgem inerentes à essa condição biológica, às vezes, me obrigam a diminuir o meu ritmo de trabalho. Gostaria de produzir mais e esse assomo, essa ousadia que às vezes se evidencia em meu caráter fazem – me parecer mais jovem e me satisfaz porque, dessa forma, tenho mais coragem para enfrentar as adversidades da vida.


Quais foram as suas primeiras influencias para poesia?

Continuar lendo ENTREVISTA COM A POETA BERNARDETE CAVALCANTI

Literatura e Notícias

%d blogueiros gostam disto: