Aviões militares atiram contra manifestantes na Líbia, segundo TV

 (AFP/HO/LIBYAN TV )Aviões militares atacaram manifestantes antigoverno em Trípoli, capital da Líbia, segundo informações da TV Al Jazeera. O líbio Soula al-Balaazi, ativista da oposição, disse à rede por telefone que caças da Força Aérea da Líbia bombardearam “alguns locais em Trípoli”. Segundo a emissora, cerca de 250 pessoas teriam morrido. Inicialmente, a Federação Internacional de Direitos Humanos havia informado que entre 300 e 400 pessoas tinham perdido as vidas desde o início dos protestos contra o governo de Muammar Kadhafi.

Outro morador da capital do país também afirmou à televisão que diversas áreas da cidade estão sendo bombardeadas.

“O que estamos testemunhando hoje é inimaginável. Aviões de guerra e helicópteros estão bombardeando indiscriminadamente uma área depois da outra. Há muitos, muitos mortos”, disse Adel Mohamed Saleh.

Há relatos de que pilotos teriam desertado para a ilha de Malta porque não queriam disparar contra a multidão.

Uma semana de manifestações e violência na Líbia

O regime do coronel Muamar Kadhafi, há mais de 40 anos no poder, enfrentava protestos de magnitude sem precedentes nesta segunda-feira, e várias cidades líbias caíram em poder dos manifestantes.

Veja os principais acontecimentos desta última semana:

– 15/16 de fevereiro: a polícia dispersa manifestação contra o governo em Benghazi, a segunda cidade do país e baluarte dos opositores ao regime, a 1 mil km a leste de Trípoli. Pelo menos 38 pessoas ficam feridas.
– 17: seis pessoas morrem em confrontos em Benghazi e duas em Al-Baida.

– 18: Mais de 40 mortos nos enfrentamentos, no leste do país, sobretudo em Benghazi. Em Al-Baida, dois policiais que tentam dispersar manifestação são capturados por manifestantes e enforcados.

Desde quarta-feira são realizados comícios e passeatas a favor do regime, na capital. O coronel Kadhafi aparece rapidamente em meio à multidão à noite.

A rede de socialização Facebook já não é acessível e as conexões à internet sofrem fortes perturbações.

– 19: Em Benghazi, pelo menos 12 pessoas perdem a vida, quando o exército tenta dispersar com balas reais os manifestantes que atacavam um quartel.

– 20: os protestos parecem transformar-se em insurreição no leste do país. Em Benghazi, morrem 60 pessoas.

As autoridades anunciam a detenção de dezenas de cidadãos árabes pertencentes a uma rede encarregada de desestabilizar o país.

As sedes de um canal de televisão e de uma rádio públicas são saqueadas por manifestantes, e incendiados vários postos policiais e locais de reunião dos comitês revolucionários.

Como todos os dias da semana, os partidários do regime desfilam pela capital. À noite, foram registrados confrontos na Praça Verde.

Durante discurso transmitido pela televisão, Saif al Islam, filho do coronel Kadhafi, reconhece que o país está à beira da guerra civil e adverte para o risco de um massacre.

De acordo com Al Islam, a Líbia é alvo de uma conspiração de elementos líbios e estrangeiros, para destruir a unidade do país e instaurar uma república islamita.

– 21: Human Rights Watch (HRW) assinala mais de 233 mortos e a Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH), entre 300 e 400 mortos.

O ministro da Justiça Mustapha Abdel Jalil renuncia “para protestar contra o uso desmedido da força” contra os manifestantes.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse ao dirigente líbio, em telefonema, que a violência contra os manifestantes deve “cessar de imediato”.

A UE e a Otan “condenam” a repressão e pedem o fim “imediato” da violência.

Muitas empresas estrangeiras, como as franceses Total e Vinci e a italiana ENI, anunciam a retirada de seus empregados.

Os Estados Unidos ordenam a repatriação de seu pessoal diplomático “não essencial”.

Saif al Islam anuncia a criação de uma comissão de investigação sobre a violência.

fonte: Correio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s