POEMAS PARA BRASÍLIA EVAN DO CARMO

BRASÍLIA

Penso na cidade como musa
como Daphne, ninfa de Apolo
de traços retilíneos 
de beleza sensual extravagante.

Um teatro a céu aberto
de trágicas comédias
de absurdos humanos.

Não és Roma nem Atenas
mas que pena
te falta um Júlio César
te sobra Lulas e Tancredos,
até um Ulisses ensaiaste.

Que fiasco foi a tua utopia
um paraíso restaurado
delírios de Dom Bosco
um padre embriagado
musa de mármore
de sangue quente e alma fria.

Tua presunção a Divindade te destrói
foste ao topo de toda sonhada vaidade
mas no fundo, Brasília
és menina moça
de semblante calmo e sereno
de pele macia e cor de rosa…

Teu futuro está no lago
entre o Sul e o Norte
nas Asas do Destino
onde a esperança do povo
é sempre verde e forte.

Evan do Carmo 04/04/2018

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, noite e atividades ao ar livre
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s