Arquivo da categoria: Sem categoria

COCO BAMBU INAUGURA MEGA LOJA NO PARK SHOPPING DE BRASÍLIA

Sem título-2vcvcvccvvcO Coco Bambu, o gigante da gastronomia e do entretenimento chegou com força total no park shopping de Brasília. A nova casa tem capacidade para 490 pessoas sentadas… Além do cardápio já conhecido e aprovado por todos os brasileiros, agora essa nova instalação oferece também entretenimento com boa música ao vivo.

Segundo um dos gerentes com quem falei, agora o Coco Bambu chegou de vez para acabar com a concorrência. Vale lembar que o Peixe na Rede, que ficava em frente teve que sair para outro endereço, evidentemente que isso foi exigência do coco bambu junto à direção do Park Shopping.

O SUICÍDIO, LIVRO DE EVAN DO CARMO

suicidiuo capa final

Um homem pula do alto de um prédio comercial. Lá em baixo há um grande alvoroço, pessoas correndo para verificar se o homem morto ainda respira. Essa curiosidade mórbida dos seres humanos em si já é um tipo de insanidade, tudo isso acontece inconscientemente, as pessoas não se dão conta da lógica nem da razão, antes de serem como que empurradas, no meio da multidão para constatar o que já sabem. Como se fosse possível alguém sobreviver a uma queda de tamanha altura.

Continuar lendo O SUICÍDIO, LIVRO DE EVAN DO CARMO

LIN QUINTINO, Entrevista para Leitura & Crítica 

01-Como se define, enquanto pessoa na sociedade?

20190712_144007

Na sociedade somos um corpo tecido de papéis social, econômico, político e religioso e isso que nos molda. Sou uma pessoa que transita por esse meio, soma de todos os papéis e arranjos que me permitem ser poeta, professora, escritora, mãe e mulher.

02-A profissão de professora é um desafio nesse Brasil atual?

Acredito que ensinar é desafio sempre. Atualmente mais ainda, pois, além da precariedade das escolas, o desrespeito e o salário, a profissão não tem o reconhecimento que merece, há uma desvalorização da classe. A professora/or está na base de todo o constituir-se profissional, pois dela vem às primeiras letras e o aprender. É preciso olhar com mais carinho para esses profissionais e os tratar com mais respeito.

 03-Enquanto poeta, o que espera das gerações futuras, no que tange à cultura?

Eu faço parte de movimentos e academias, em que os jovens escritores estão presentes e dando os primeiros passos na escrita literária. Acredito que o poeta sempre existirá, pois seu ofício é a matéria que o nutre, feito o ar que respira. A Cultura é o suporte que ampara o ser humano, sem ela nos perdemos na hostilidade da vida. Mas, atualmente, anda meio jogada para o escanteio, pois a julga de somenos importância. Mas, pobre do povo que não tem cultura. Espero que essa geração que chega saiba valorizá-la, acima de tudo.

04-Acha importante escrever para melhorar o pensamento crítico? 

Escrever quanto ler são as ferramentas necessárias para gerar homens críticos. É preciso conhecer para ter sua própria opinião, saber questionar, exigir e escolher, pois só o faz quem tem suas próprias ideias, e não se deixa manipular. A escrita é poder, quem a detém, controla.

05-Como se deu a literatura em sua vida?

Desde pequena, sempre gostei das histórias contadas por minha avó, à noite, ao pé do fogão, meu lugar predileto. O gosto pela leitura e o manusear dos livros vieram com a escola. À adolescência com suas inquietações trouxe os romances, os poemas e os clássicos ocuparam meu tempo. Creio que sempre estive mergulhada neste mundo, daí para a escrita foi um passo.

06-Indica algum caminho para quem quer se tornar escritor e poeta?

Para quem quer ser um escritor ou poeta, o conselho é “estudar”. Leia os poetas, os clássicos e os contemporâneos, estude a teoria, veja outras obras que se aproximem da que você quer escrever. Por exemplo, se quiser escrever poesia, vá atrás dos poetas brasileiros, estrangeiros, não se prenda a um estilo, apenas. Procure o que eles escreveram? O que a poesia deles tem de tão especial, que consagraram seus nomes, o que a poesia deles passa é o que você quer passar com seu escrito. A intenção não é se comparar com eles, mas entender como funciona a escrita, porque o maior escritor é o maior leitor. O importante é sempre ler. Muito.

07-Como descreve o Brasil de hoje?

Penso o Brasil feito um grande barco à deriva, onde cada um rema para um lado, tentando se salvar. Sem um comandante de pulso forte capaz de organizar a travessia.

Um país que tem tudo para se tornar uma grande potência, mas não consegue resolver seus entraves.

Do ponto de vista econômico, por exemplo, a situação é assustadora, uma nação tão rica como a nossa incapaz de proporcionar cuidados de saúde, moradia e educação adequadas ao seu povo.

08-Se interessa por política? 

Todos nós somos políticos em nossas relações do dia a dia. Eu gosto de política. Não gosto é dessa politicagem exercida pelos nossos governantes, essa é vergonhosa.

09-Se possível defina a poesia no seu caso.

Para mim poesia é alimento, é o que me nutre, me mantém viva.

10-Como a poesia pode ser um escape para as loucuras do mundo?

A loucura é uma “espécie de infância cronológica e social, psicológica e orgânica, do homem”, uma fuga do real. A poesia é essa abstração, é o que deveria e como seria a realidade. O poeta recria sua realidade, nesse sentido, a poesia é um escape, ou seja, uma Pásagarda, como em disse o poeta.

Meus livroS

Entrepalavras

A Cor da Minha Escrita

Na Outra Margem de Mim

As Palavras nãos se Fadigam da Escrita

os Ossos da Escrita

Palavras Avulsas

Poemas de Gaveta

Em Cada Canto Nasce um Poema

Aquela Menina

lindalva.quintino@gmail.com

CATARSE, NOVO LIVRO DE EVAN DO CARMO

CRÍTICA AO LIVRO “CATARSE”, DE EVAN DO CARMO

banner.jpg

O livro CATARSE, do veterano poeta paraibano Evan do Carmo, é uma obra indispensável na biblioteca de todo leitor amante da poesia.

            A sua qualidade já se prenuncia no excelente prefácio de autoria do talentoso poeta e psicólogo Alufa-Licuta Oxoronga, que sacia a sua fome poética degustando as receitas sofisticadas e exóticas do “Chef” Evan, como análoga e metaforicamente sentiu os belos versos do autor.

Continuar lendo CATARSE, NOVO LIVRO DE EVAN DO CARMO

TODO BOM POEMA É CONFISSÃO

4408450829428
Foto tirada em Paraty em 2011
MORTE LEVE, NÃO DOLOROSA
Assim dizia um poeta,
este poeta que não era triste
nem viva sorrindo à toa
o poeta não era de muitos amigos,
tampouco de muitos amores.
Contudo, ao atingir a maturidade,
quando se viu saciado de dias
falou em uma conversa com Deus,
Deus esse que ele pouco incomodava
com suas necessidades de homem mortal.
Então disse o poeta, sem nenhum traço de melancolia:
Eu, de fato posso concluir com bastante satisfação
que a vida me foi agradável, até muito mais além
daquilo que eu desejava. Usufruiu de quase tudo
aquilo que é possível ao homem desfrutar:
tive filhos e esposa-amante.
Fui contemplado com o dom maior
reservado aos deuses entre os homens,
música e construção, poesia e espiritualidade,
fui pai e avô, usei com equilíbrio
tudo que dá prazer à carne e ao espírito.
Tive tempo e coragem para declarar meu amor
a quem de fato o merecia. Fui bom amigo,
marido dedicado e leal.
Fiz música e poesia para todos,
nunca calei diante da injustiça
embora a tenha cometido em algum momento
por confusão mental e falta de critério..
Sempre tive coragem moral para defender minhas convicções
para pedir perdão e conceder a quem de mim necessitou,
creio que agora estou concluso, no verso e na prosa.
Então que a morte seja breve, embora leve não possa ser,
mas para mim não será dolorosa.
Evan do Carmo 13\12\19

ENTREVISTA COM O ESCRITOR JOSÉ PAULO ALVES FUSCO

71208503_512152342675267_8810930295969677312_n.jpg
José Paulo Fusco

1 – Quem é José Paulo Fusco?

Sou uma pessoa antenada com os acontecimentos, muito curioso a respeito das particularidades do pensamento humano. Também gosto de observar as pessoas em seus comportamentos, relacionamentos, fatos vividos e daí, tiro também muitas ideias para moldar personagens em minhas narrativas. Tenho uma grande atração por História de modo geral, mas em particular pela evolução e destino da Sociedade romana à época da ditadura de Júlio César e dos imperadores que se seguiram. A ascensão e queda do grande império romano, assim como muitos outros, fascinam-me pela grande semelhança da trajetória de todos eles, além da semelhança com tudo o que estamos vivendo em nosso hoje. Sou nascido em Bauru (SP) e criado na capital, mas vivi longos e prazerosos anos em Belo Horizonte (MG), onde trabalhei em muitas empresas e formei família. Meus três filhos ainda moram lá, junto com minhas três lindas netinhas. Então, eu penso que meu perfil, em poucas palavras, deve possuir características da vontade de realizar dos paulistas e do caráter reservado dos mineiros. Sempre gostei de fazer o que fiz e faço, seja como Engenheiro, Professor e Escritor e acredito que ainda tenho muitas contribuições a dar. Atualmente sou Secretário Geral da ABL – Academia Bauruense de Letras, com muito orgulho.

Continuar lendo ENTREVISTA COM O ESCRITOR JOSÉ PAULO ALVES FUSCO