Arquivo da categoria: Sem categoria

Residências oficiais e embaixadas terão mais tempo antes de derrubadas

Segundo a Advocacia-Geral da União, a decisão local de desocupação da orla não tem eficácia em propriedades do governo federal. Ao menos 10 terrenos não serão afetados nas primeiras etapas da operação da Agefis

Ed Alves/CB/D.A Press
Ontem, os funcionários do GDF atuaram em quatro terrenos, com a derrubada de cercas e muros. Ao todo, 11 mansões foram alvo do trabalho, que teve início na segunda-feira e deve continuar pelos próximos dois anos

Ao menos 10 dos 439 terrenos com ocupações de área de preservação permanente (APP) na beira do Lago Paranoá ficarão isentos de derrubadas da Agência de Fiscalização do DF (Agefis) pelo prazo de 30 dias. A desocupação desses lotes depende do desfecho de uma negociação com o governo federal. As tratativas, que envolvem a Advocacia-Geral da União (AGU), já começaram. Embaixadas, imóveis de representações diplomáticas, terras da União e residências oficiais terão regras diferenciadas. O acordo envolve também o Ministério das Relações Exteriores, uma vez que há representantes da diplomacia internacional entre os ocupantes de imóveis na beira do lago. A remoção de obras em área ambiental dentro de residências oficiais tem gerado controvérsia e pressão política contra o governo local.

Segundo levantamento da Agefis, as embaixadas da China, dos Países Baixos e da Alemanha têm imóveis na orla do espelho d’água com construções em APP. Também estão nessa situação quatro terrenos de propriedade da Marinha e as residências oficiais da presidência do Senado, da Câmara dos Deputados e do Ministério da Fazenda.

Continuar lendo Residências oficiais e embaixadas terão mais tempo antes de derrubadas

A hipocrisia de Celina Leão

Celina Leão e Rollemerg em sagrada harmonia

O PDT continua mamando nas tetas do governo local e nacional, aqui Celina encena um afastamento hipócrita,  nunca esteve tão afinada e aliada do hipócrita mor. Vive de mãos dadas com Rollemberg até nas orações públicas e farissicas.
Apesar das evidências, Celina diz por aí, não se sabe com que objetivo, talvez para se convencer de uma nobreza que não possui, que é independente. Isto nem o mais tolo dos seus eleitores acredita.

Organizadores do “Isoporzinho na Orla do Povo” são servidores do GDF

Organizadores do “Isoporzinho na Orla do Povo” são servidores do GDF
Para comemorar a derrubada de terrenos na orla do Lago Paranoá, integrantes da juventude do Partido Socialista Brasileiro (PSB), o mesmo do governador Rodrigo Rollemberg, organizaram um evento em uma rede social batizado de “Isoporzinho na Orla do Povo”. Das 11 pessoas listadas como organizadores da confraternização, seis ocupam algum cargo no Governo do Distrito Federal (GDF) e outros dois têm o mesmo sobrenome do governador.

Em meio aos organizadores da confraternização que trabalham no GDF, há funcionários em secretarias diversas. Raphael Sebba, por exemplo, candidato a deputado distrital pelo PSB nas últimas eleições, é coordenador de subsecretaria de movimentos sociais e participação popular da Secretaria de Relações Institucionais. Também há funcionários da Casa Civil, Secretaria de Turismo e da administração regional do Sudoeste/Octogonal. Além dos seis servidores públicos, organizam o Isoporzinho na Orla do Povo Gabriel Rolemberg Serwy, sobrinho do governador, e Augusto Vidal Rollemberg, tambem parente de Rodrigo Rollemberg.

Continuar lendo Organizadores do “Isoporzinho na Orla do Povo” são servidores do GDF

Agnelo Queiroz em entrevista ao CB. Poder: “Não houve rombo no caixa”

O ex-governador do DF Agnelo Queiroz foi o entrevistado do programa CB. Poder desta segunda-feira (24/8), na TV Brasília. Durante a entrevista, ele reagiu ao tão falado “rombo no caixa GDF” e falou sobre o parcelamento de salários dos servidores do DF e jogo político na capital federal.

Questionado sobre a “herança maldita”, Agnelo afirmou que, segundo dados oficiais do governo, havia um superávit no caixa no último dia do ano do seu mandato de R$ 70 milhões. “Não tem rombo, é uma mentira. Houve declarações sobre esse rombo, mas eles nunca afirmaram a quantia exata disso. Cada dia era um ”, explicou.

Veja a entrevista na íntegra:

Rollemberg acende uma vela para Deus e outra para o diabo

A perfeita imagem da hipocrisia pitoresca

Como o doutor Fausto, personagem de Goethe, na sua obra magistral, “fausto” que faz pacto com o diabo, assim os políticos brasileiros costumam agir, a exemplo de Collor que fazia rituais na Casa da Dinda.

Rollemberg não ficou para trás, um dia ele vai à igreja católica e diz que é católico praticante, desde de menino, beija o padre e o coroinha, outro dia vai ao culto evangélico, aceita Cristo com pompas e mídia paga, beija o pastor e cobra o dízimo dos fiéis.

Mas Rollemberg é mesmo frequentador assíduo de um médium espírita, João de Deus, em Abadiânia, coisa que a bíblia condena. O rei Saú foi morto por tal prática condenável no antigo Israel. Rollemberg não faz isso por desespero ou porque esteja procurando apoio espiritual, faz por hipocrisia, ele ainda faz política como Sarney e ACM, quer estar bem com Deus e com o diabo, um autêntico Odorico Paraguaçu.

Barbosa anuncia reforma administrativa e redução de dez ministérios

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa

Em prosseguimento à agenda de ajustes, o governo anunciou nesta segunda-feira (24/8) que dará início a uma reforma administrativa. Entre as medidas, está a extinção de ministérios, redução do número de cargos comissionados e venda de imóveis do Estado. As medidas têm o objetivo de reduzir despesas e trazer receitas aos cofres federais.

De acordo com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que esteve reunido com a presidente Dilma Rousseff ao longo do fim de semana para fechar os pontos apresentados, serão perseguidas cinco diretrizes. A primeira delas propõe a redução de dez ministérios. Ainda não há definição de quais seriam as pastas extintas e quando isso seria concretizado.

O segundo ponto diz respeito à racionalização da máquina pública com redução do número de secretarias e combinação de divisões dentro dos órgãos federais. Outra medida pretende reduzir, sem meta específica, o número de cargos comissionados no governo. Barbosa ressaltou que atualmente a maior parte dos cargos desse tipo já é ocupada por servidores públicos.