Dizem por aí que já é carnaval outra vez .

Lastimo-vos, seres comuns,
pessoas rasas, almas vazias,
que para todo tipo de evento 
existencial criaram dias…

É dia do abraço, dia do sossego,
dia da carência, dia da abastança,
dia dos pais e dia das mães,
dia de sorrir e dia de chorar.

Dia de morte e dia de viver
dia de paz e dia de guerra
dia para se dar, dia para se vender
dia de lembrar, dia de esquecer

Pobres mortais, quem foi que ensinou
esta forma estúpida de viver?
O que importa é a viagem
e não a duração nem o destino

Dias são espaços de tempo
medidas de uma estrada infinita
como pedras à beira do caminho
por onde passa um viajante eterno
que não se pegar a descrever
a razão dos dias, como a olhar
o que dizem as pedras…

Evan do Carmo

Anúncios

POESIA COMO UM RIO, SUAVE E SEMPRE

“Poesia, para quem a tem na alma, é algo que flui naturalmente como água sob o peso da gravidade, rio abaixo. Não é poesia, algo forjado por invocação de um espírito que não habita em nós, ou por transpiração e esforço do intelecto, por meio de enfadonhos milênios de leitura daquilo que não compreendemos, contudo, achamos belo ou genial…”

Evan do Carmo

BRASÍLIA DESPENCA, MAS GOVERNO RUIM NÃO CAI

Chefe do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) estreou nessa quinta-feira (9/2) no cargo cercado de compromissos e cobranças

BBBBO primeiro dia de Márcio Buzar à frente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) no DF mostrou que a tarefa dele será das mais complicadas. O diretor do órgão enfrentou a reação de servidores que não concordam com a troca de comando, participou de uma série de reuniões, deu início às obras para desafogar o trânsito na região central de Brasília e ainda visitou a Ponte do Bragueto, no Lago Norte. “A gente assumiu esse abacaxi, e temos de descascá-lo direitinho”, afirmou.

POESIA DO DIA

A Eliot

O poeta ressurge das cinzas das horas
do niilismo absurdo, da sombra do mundo,
no fim da aurora.

Canoa virada, naufrágio profundo
do centro do abismo,
sem forma ou lirismo, anuncia o futuro.
Se pensa desiste, monólogo tão triste
enfado e desânimo.

Descansa do verso,
é um santo professo na prosa frugal
recita Homero, arrisca um refrão
desprezo fatal.

Não bebe mais vinho, não é abstêmio
sempre foi boêmio na noite discreta
amou sua musa, na lua minguante
não foi bom amante,
mas foi bom poeta.

Evan do carmo

Defesa de Lula diz: “Ele sofre a maior perseguição desde Getúlio”.

O ex-ministro do STF confirmou que fará parte da defesa dos recursos que tramitam nos tribunais superiores de Brasília

Resultado de imagem para Sepúlveda
Sepúlveda Pertence

Após confirmar que passará a atuar na defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o jurista Sepúlveda Pertence afirmou que o petista tem sofrido “perseguição”. “A maior desde Getúlio Vargas”, disse o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Parte do viaduto da Galeria dos Estados desaba, no centro de Brasília

Parte do viaduto da Galeria dos Estados, que possibilita o trânsito sob o Eixão Sul, no centro de Brasília, cedeu no fim da manhã desta terça-feira (6/2). Equipes do Corpo de Bombeiro e da Defesa Civil foram deslocadas para o local. Ainda não há informações sobre feridos nem se sabe o que causou o acidente, que provocou um rombo em duas das pistas na principal avenida da cidade.

PODERIA SE LER, “A CADEIRA OU A DEMOCRACIA BRASILEIRA…”

A CADEIRA TEXTO DE SARAMAGO

saramago tls
JOSÉ SARAMAGO

Apenas hesitam, ainda, sem consciência de hesitar, entre a exclamação e o grito, ambos primários. Está portanto garantida a impunidade por emudecimento da vítima e por inadvertência dos investigadores, que só pro forma e rotina virão verificar, quando a cadeira acabar de cair e a queda por enquanto ainda não fatal estiver consumada, se a perna ou pé foi malevolamente cortado e criminosamente também. Humilhar-se-á quem tal verificação fizer, pois não é menos que humilhante usar pistola no sovaco e ter um toco de madeira carunchosa na mão, esfarelando-o debaixo da unha que para isso nem precisaria de ser tão grossa. E depois arredar com o pé a cadeira partida, sem ao menos irritação, e deixar cair, também cair, o pé inútil, agora que acabou o tempo da sua utilidade, que precisamente é a de se ter partido.

Continuar lendo PODERIA SE LER, “A CADEIRA OU A DEMOCRACIA BRASILEIRA…”

Literatura e Notícias

%d blogueiros gostam disto: